Revista Eletrônica Estácio Saúde, Vol. 8, No 1 (2019)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

MAUS TRATOS CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: COMO DIAGNOSTICAR? COMO CONDUZIR?

Christiane Leal Corrêa, Renan Vinícios Santos de Moraes, Victor Hugo de Oliveira Magalhães, Warlley Labrujo Gomes Da Silva, Claudio Pedro Donadio Fiorito

Resumo


Nas emergências dos hospitais brasileiros, é muito comum o atendimento de crianças e adolescentes que sofreram algum tipo de mau trato. No entanto, pode ser difícil reconhecer quando um indivíduo sofreu algum tipo de violência. Este artigo visa explicar como reconhecer os tipos de maus tratos e o que os profissionais de saúde devem fazer quando se deparam com esse tipo de situação. Em alguns casos, mesmo que sejam reconhecidos, muitos profissionais de saúde não sabem como conduzir o caso para beneficiar a pessoa que sofreu a violência. Fazem-se necessárias contribuições que possam esclarecer os profissionais de saúde e romper as barreiras para melhorar um paradigma bastante comum no Brasil: o subdiagnóstico e a subnotificação dos casos de violência contra crianças e adolescentes.


Texto Completo: 5300.PDF

Resultado de imagem para latindex