Rizoma: Experiências interdisciplinares em ciências humanas e sociais aplicadas, Vol. 2, No 1 (2017)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

A CARTOGRAFIA COMO ESTRATÉGIA DE PESQUISA: AGENCIAMENTO DE AFETOS

Rogério Machado Rosa

Resumo


A cartografia como (anti)método de pesquisa significa um salto do atual para o virtual, uma passagem do que se é para o que se pode vir a ser em termos de corpo-pensamento-conhecimento. Por isso mesmo, o cartógrafo não se atém às relações entre variáveis ou às dinâmicas das supostas causas e efeitos entre os fenômenos. A cartografia é expressão de um estilo itinerante de pesquisar, em trânsito e sem endereços e endereçamentos fixos. A tarefa do cartógrafo é viabilizar a passagem de afetos que encontra no curso de suas andanças e cruzamento de fronteiras existenciais; não se ocupando nem com a delimitação de fronteiras e nem com a formulação de interpretações das experiências sociais e individuais.  Mais do que encontrar afetos, o cartógrafo também participa da criação destes. Ele acompanha processos existenciais e assim agencia, com os corpos aos quais se encontra, experiências que ainda não possuem lugar no mundo e nem no seu próprio corpo-pensamento-existência


Texto Completo: cartografia

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.