HÓRUS, Vol. 11, No 1 (2016)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

ANÁLISE DA UTILIZAÇÃO DOS INDICADORES ESSENCIAIS DA VERSÃO G4 DA GLOBAL REPORTING INITIATIVE (GRI), NO RELATÓRIO ANUAL 2014 DO FGTS

Marco Aurélio Arbex

Resumo


O presente trabalho tem como foco a sustentabilidade, abordada aqui na amplitude de seu conceito (aspecto ambiental, aspecto social e aspecto econômico). Especificamente, buscou-se identificar o grau de aderência e evidenciação dos indicadores essenciais da versão G4 da Global Reporting Initiative (GRI) no relatório anual 2014 do FGTS. O tema apresenta especial relevância, dadas as características da organização estudada (organização pública com forte cunho social, presente na vida de milhões de brasileiros). A metodologia escolhida foi o estudo exploratório quanto aos fins (CERVO; BERVIAN; DA SILVA, 2007) e pesquisa documental quanto aos meios (BERTUCCI, 2008). Inicialmente, realizou-se a leitura do relatório anual 2014 do FGTS, seguido da leitura do documento da GRI G4: diretrizes para relato de sustentabilidade – partes 1 e 2, para que fosse possível analisar o relatório do FGTS à luz das diretrizes do GRI. Por fim, foi calculado o “grau de aderência” (GAPIE) e “grau de evidenciação” (GEE) (CASTRO; SIQUEIRA; MACEDO, 2009) do relatório do FGTS às diretrizes do GRI-G4. Os resultados evidenciaram alto grau de aderência e evidenciação do relatório anual 2014 do FGTS às diretrizes GRI-G4. Aglutinando-se os aspectos de conteúdo “geral” e “específico”, o GAPIE e GEE ficaram em 85,5%. Ao analisar somente os indicadores de conteúdo “geral”, o GAPIE e o GEE atingiram 90,6%. Por fim, ao analisar os indicadores “específico”, obteve-se 80% no GAPIE e no GEE. O relatório anual 2014 do FGTS mostrou-se alinhado às diretrizes globais do GRI para relato da sustentabilidade.

Texto Completo: PDF

Revista Horus - ISSN: 1679-9267 - endereço eletrônico: horus@estacio.br