Gestão Contemporânea, Vol. 11, No 1 (2021)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

TELETRABALHO E BEM-ESTAR EM TEMPOS DE DISTANCIAMENTO SOCIAL: UM ESTUDO DE CASO

Maria da Gloria Guimarães, Ana Flávia De Moraes Moraes, Jurandir Moura Dutra

Resumo


Este estudo objetivou analisar a percepção de servidores públicos da Universidade Federal do Amazonas que passaram a realizar parte ou totalidade do seu trabalho à distância durante o distanciamento social causado pela COVID-19, fazendo uso das ferramentas tecnológicas de informação e comunicação. Especificamente, buscou-se verificar aspectos relacionados à saúde mental, considerando a necessidade de adaptação das atividades presenciais para remotas, ademais, vantagens e desvantagens do trabalho remoto. A pesquisa consistiu em estudo descritivo, com abordagem quantitativa. As informações foram coletadas junto a 246 servidores da instituição por meio de questionário online do Google Forms, com perguntas fechadas, baseadas em uma perspectiva pragmática. Os dados foram analisados a partir da estatística descritiva e os resultados demonstraram que existem ganhos no desempenho profissional, o trabalho remoto promove vantagens de economia de tempo, redução nos custos de deslocamentos e favorece maior flexibilidade. Todavia, destaca-se limites confusos entre trabalho e lazer, sentimentos de ansiedade e irritação, menor número de relacionamentos sociais. Verifica-se ainda que a prática do trabalho remoto facilita o isolamento social. Em suma, o teletrabalho, antes de ser um aspecto a ser controlado, pode ser uma estratégia que favoreça a reestruturação organizacional. Entretanto, nem todos os profissionais têm perfil e estrutura para este. 


Texto Completo: PDF