Revista Ciência (In) Cena, No 2 (2015)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

PREVALÊNCIA DE SINTOMAS MUSCULOESQUELÉTICOS EM TRABALHADORES DE UMA EMPRESA DE CONFECÇÃO EM SALVADOR-BAHIA

Roberto Rodrigues B. T. Maciel, Daniel Sant'Ana Coelho, Rodrigo Barros Bacellar

Resumo


RESUMO

Os trabalhadores lojistas desempenham diversas funções, além de permanecerem em postura estática por tempo prolongado. A manutenção dessas posturas por tempo excessivo é desconfortável e prejudicial, podendo até ser lesiva ao trabalhador. O presente estudo consiste numa pesquisa de campo de corte transversal realizada em uma empresa de confecções situada na cidade de Salvador-Bahia que objetivou conhecer dados epidemiológicos relativos a esta atividade laboral, tendo como instrumento de avaliação o Questionário Nórdico. Observou-se prevalência elevada de sintomas musculoesqueléticos entre os funcionários estudados (90%). O gênero masculino apresentou maior prevalência de sintomas musculoesqueléticos, tanto nos últimos 07 dias, quanto nos últimos 12 meses. Em relação às regiões anatômicas, as maiores queixas foram em membros inferiores. Dos 80 funcionários que apresentaram sintomas musculoesqueléticos, 35% dos funcionários relataram limitações para realizar atividades domésticas, trabalho e de lazer. Portanto, fica evidenciado, através de dados epidemiológicos, a real situação que se encontra uma parcela de trabalhadores lojistas, propiciando um despertar para novos estudos, garantindo, assim, a saúde do trabalhador.

 

Palavras chave: Saúde do Trabalhador. Prevalência. Sintomas Músculoesqueléticos.

 

ABSTRACT

Shop assistants perform several functions and can remain in a static position for long periods. To maintain these positions for long is uncomfortable and harmful, potentially detrimental to the worker. The present field research study consists of a cross-section of a clothing company located in the city of Salvador, Bahia. Its aim was to identify epidemiological data related to work activity and use as an evaluation tool, the Nordic Questionnaire. The prevalence of high musculoskeletal symptoms among the workers studied was (90%). The males had a higher prevalence of musculoskeletal symptoms, both in the last 07 days, as in the past 12 months. In relation to anatomical regions, the most common complaints werw in the lower limbs. Of the 80 employees who had musculoskeletal symptoms, 35% of employees reported limitations when performing household chores, work or leisure activities. Therefore, it is evident through the epidemiological data that a section of the workforce need to become aware of the facts, thus ensuring their health.

 

Key Words: Occupational Health. Prevalence. Musculoskeletal Symptoms. 


Texto Completo: PDF

INDEXADORES: