Revista Ciência e Sociedade, Vol. 1, No 1 (2016)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

SÍNDROME DE BURNOUT CORRELAÇÃO COM PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM DA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA (UTI)

waldirene fonseca

Resumo


O trabalho na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) é complexo e os profissionais de enfermagem enfrentam diversos fatores, desde físicos; emocionais e psicológicos, que podem contribuir para a evolução de sintomas desencadeando a Síndrome de Burnout. A presente pesquisa tem por objetivo investigar na literatura os fatores que influenciam os profissionais de enfermagem da Unidade de Terapia Intensiva a desenvolverem a Síndrome de Burnout. Trata-se de um estudo de revisão bibliográfica da literatura, onde os dados foram coletados em artigos publicados entre 2010 a 2016 nas base de dados da Biblioteca Virtual em Saúde, Scientific Eletronic Library Online (SciELO) e Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS). Os dados foram analisados e categorizados. Os resultados destacaram que a síndrome de Burnout é fruto de fatores estressores que podem desencadear a insatisfação no ambiente de trabalho e influencias comportamentais de origem interpessoal e motivacional que podem contribuir para que não haja bem estar para atuar no ambiente de trabalho. Por isso, a Síndrome é uma experiência individual específica do contexto do trabalho que afeta diretamente aspectos físicos e emocionais nos profissionais de enfermagem da UTI. É imprescindível como estratégias de prevenção a elaboração de ações específicas voltadas para modificações na esfera de trabalho, de forma a minimizar os danos à saúde, diminuir o estresse laboral, melhorando a qualidade nos serviços prestados.


Texto Completo: PDF

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Faculdade Estácio de Macapá, Av. Ver. José Tupinambá, n. 1223. Jesus de Nazaré. CEP: 68908-126. Macapá-AP.