Revista Expressão Da Estácio, Vol. 2 (2019)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

ESTUDO RELACIONADO AO DESCARTE DE MEDICAMENTOS

Caroline Monteiro Ferreira, Debora Silva de França Abreu, Ludmila Nakamura Rapado

Resumo


Estima-se que cerca de 30 mil toneladas de medicamentos sejam descartadas pelos consumidores todos os anos no Brasil. Esses medicamentos vencidos, em desuso ou impróprios para consumo são usualmente descartados em locais inadequados como rede de esgoto e lixo doméstico. Estudos indicam que medicamentos podem alterar adversamente o meio ambiente. O objetivo desse trabalho foi avaliar o conhecimento e a forma de descarte de fármacos (vencidos, inutilizados e sobras) que os alunos e colaboradores da Faculdade Estácio de Carapicuíba realizam. Foram entrevistadas 233 pessoas da Faculdade Estácio de Carapicuíba. Do total de entrevistados 91% afirmaram que existe um problema em descartar medicamento em pia, vaso sanitário ou lixo e apenas 9% afirmaram que não há problemas nesta maneira de descarte. Constatou-se que 99% dos entrevistados têm o conhecimento sobre problemas relacionados ao descarte incorreto do medicamento. Levando em consideração o conhecimento da população, foi identificado que o acesso aos pontos de coleta é dificultoso. Para cumprir os objetivos, foi elaborado e distribuído um material informativo com os dados obtidos nesta pesquisa a fim de despertar uma possível consciência coletiva do grande problema cultural que vivemos, divulgando os pontos de coleta e alertando sobre os impactos do descarte incorreto do medicamento.

Texto Completo: PDF